MATTOS CAVALCANTI ADVOGADOS ASSOCIADOS

INFORMATIVO III - THIAGO CAVALCANTI



GESTÃO NA ADVOCACIA – PARTE 1.

Muitos ainda enxergam os melhores advogados e escritórios de advocacia como aqueles formados por profissionais com grande saber jurídico, muitos anos de experiência, estrutura física no estilo barroco e linguagem rebuscada.
Contudo, o advento da tecnologia, ampliação do acesso a Justiça, maior educação da população, aumento da densidade demográfica nos centros urbanos, aumento das demandas judiciais, tanto de forma quantitativa como de forma qualitativa, exigem reflexão acerca do perfil da advocacia.
Desta forma, há necessidade de mudança de paradigma, passando a advocacia de uma postura de atuação artesanal para uma aplicação dos conceitos de gestão e produtividade.
A tendência dos escritórios é incorporar a máxima “fazer mais com menos recursos”. O mercado cobra da advocacia a prestação de serviços com maior qualidade e menor custo.
Ressalta-se, aplicação de gestão não é igual a redução de qualidade. Pelo contrário, falamos de aumento de qualidade com menor custo.
A utilização de métodos como PDCA do professor Vicente Falcone permite aos escritórios mapear as atividades de seus componentes permitindo a alocação de cada colaborador no local adequado, propiciando trabalho de forma mais rápida e produtiva.
A especialização na atividade garante melhor qualidade e velocidade. A obrigatoriedade de revisão e verificação dos desvios (erros) e tratamentos garantem uma melhor prestação de serviços e aprimoramento nas atividades o escritório. A inclusão metas permite um controle qualitativo e quantitativo do escritório.
Por fim, a aplicação da gestão garante o alcance dos objetivos pretendidos pelo cliente com um custo menor, sendo uma tendência irreversível da advocacia, alcançando maior sucesso os escritórios que melhor dominarem as técnicas de gestão.
No nosso próximo informativo, vamos tratar de temas específicos como metas, itens de controle, redução de passivo e contingenciamento.